Artigos
 Substantivos
 Pronomes
 Determinantes
 Numerais
 Adjetivos
 Advérbios
 Conjunções
 Orações Subordinadas
 Verbos
 Orações Condicionais
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Atividades

 Vocabulário
 Fórum de Discussão
 Tradutor de Palavras
 Matemática no Inglês
 Falsos Cognatos
 Situações Cotidianas
 Dicas de Inglês
 Na Boca do Povo
 Laifis de Inglês
 Área dos Professores

 Jogos On-line
 Trava-línguas
 Palíndromos
 Piadas
 Títulos de Filmes
 Rimas na Fala

 Inglês no Mundo
 Só Cultura
 Britânico x Americano
 Artigos e Reportagens
 Notícias
 Curiosidades
 Nomes e Apelidos
 Hinos
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Por que se usa "@" (at sign ou at symbol) em endereços eletrônicos?

Criado para ser uma unidade de medida, o arroba virou símbolo dos tempos modernos, ganhou status de design e passou a fazer parte do acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York.

Ele nasceu assim...

Quando o latim ainda era língua corrente, a contração da preposição ad (que tem o sentido de lugar e movimento) se parecia com o @. Mas o arroba, tal como o conhecemos hoje, nasceu no século 16, em Florença. Na época, o marchante Francesco Lapi o usou para simbolizar uma unidade de medida. Ela era baseada na ânfora (um vaso de terracota) usada nos mercados italianos para medir grãos e outros bens de consumo. Com o tempo, foi caindo em desuso e, hoje, o símbolo ainda tem o nome de uma unidade de medida somente em português e espanhol.

Na era moderna, o arroba virou propriedade dos contadores. Por isso, o sinal entrou para o teclado básico das máquinas de escrever em 1885. Mas foi apenas no fim do século 20 que ele virou o ícone da era digital. O arroba estava quase morto até o engenheiro elétrico norte-americano Ray Tomlinson inventar o e-mail, em 1971. Ele escolheu o símbolo para ser a liga dos endereços de e-mail.

As razões? Primeiro por ser um ícone que já existia nos teclados e não tinha nenhuma função para a maioria da população. Segundo, porque os norte-americanos chamam o sinal de "at", abreviação da expressão at the rate of (à medida que). At tem a função de lugar: onde, está. Traduzindo um endereço de e-mail, a escolha fica óbvia. O usuário fulano de tal está no provedor X: fulanodetal@provedorX.

O que é? O que é? É redondinho e perfeitinho. Você o usa várias vezes ao dia, mas não dá a mínima atenção para a sua existência. Tem o mesmo significado no mundo inteiro. Só começou a ser usado intensamente há pouco mais de 10 anos. E, recentemente, virou peça de museu? Acertou quem respondeu o arroba. É isso mesmo, o símbolo @. Depois de mais de décadas escondido nos endereços dos nossos e-mails, foi apenas em 2010 que o arroba virou tendência. Para isso, bastou a curadora do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), Paola Antonelli, decretar.

Tudo começou quando Antonelli se reuniu com os 25 membros do comitê do Departamento de Arquitetura e Design do MoMa, o qual preside. Eles avaliaram a importância do arroba para o design e decidiram acrescentar o ícone às 175 mil peças do acervo do museu, sem nenhum custo para a instituição. Afinal, o arroba não tem dono e não tinha de quem comprar. A justificativa da escolha é simples: é o marco da geração da tecnologia do século 21.

– É um design de extraordinária elegância e economia – justificou Paola no blog do museu. Isso foi o suficiente para criar o mito em torno do símbolo internacionalmente conhecido.

A mística em volta do arroba não é recente. As mais diversas áreas já o estudaram. Em cada uma delas, o símbolo tinha significados diferentes. O pessoal da tecnologia foi quem elevou o status do arroba, ao usá-lo para constituir o primeiro endereço de e-mail. Já os linguistas acham fascinante a sua transformação em símbolo universal. Independentemente da língua que se fala, ele tem pelo menos uma função: identificar o provedor do seu e-mail. Mas após esse renascimento do sinal, os designers se apropriaram dele como um ícone graficamente elegante, simples e funcional.

A decisão de Paola de acrescentar o arroba ao acervo do MoMA despertou uma interessante discussão sobre o que pode ser design. Em texto divulgado no blog oficial do museu, a curadora defende que, assim como a arte contemporânea e a arquitetura, o design também pode ter manifestações inesperadas.

– A aquisição do @ vai um passo à frente. Eu acredito que não é mais necessário ter a possessão física de objetos para adquiri-los – diz.

Para tomar tal decisão, ela e o comitê avaliaram a forma, o significado, a função, a inovação, os aspectos culturais, o processo e a necessidade do produto. O arroba pode até não ter sido desenvolvido com a intenção de ser um símbolo de design, mas ele é tão funcional que acabou sendo adotado pelos profissionais da área. As razões são as mais diversas. Primeiro, ele ressurgiu para resolver um problema: simplificar uma complicada linguagem de programação de e-mail. Segundo, ele já era um ícone existente no alfabeto. Por isso, foi adicionado aos teclados e reutilizado sem custos para os fabricantes de máquinas de escrever e, mais tarde, computadores. E, finalmente, ele continuou a ter a função original de estabelecer conexões.

Em cada língua, um nome

Nas mais diversas línguas, o @ tem significados diferentes.
Confira os mais interessantes:

- Alemão: rabo de macaco.

- Chinês: pequeno rato.

- Italiano e francês: caracol.

- Filandês: gato dormindo.

- Russo: cachorro.

- Espanhol e português: unidade de medida.


Olívia Meireles/Correio Brasilienese - in www.zerohora.com

 

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2008-2017 Só Língua Inglesa. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.